9 de jan de 2009

VENTANIA


AQUI A VENTANIA não dorme,
com suas mãos crepitantes,
seus guizos,
seus adereços de campainhas eóleas.
Dia e noite vagueia pelos parques e pelas ruas,
a ventania

Sacode as alvas roupas que os lavadeiros estendem,

inclina as flores,
levantas folhas secas

alisa a poeira amarela,

açula gatos e cães,
revolve os cabelos dos homens,
incha os imensos véus das mulheres de olhos vítreos,
apalpa as areias, as pedras, as sementes caídas,
espia dentros dos ninhos, brune os pequenos ovos,
tufa a penugem dos pássaros,
balança as plantas,

entontece as árvores:
a ventania.

Cecíla Meireles

Nenhum comentário:

Postar um comentário