16 de jan de 2009

O gato do canto


É peludo? — Nem sempre...
Às vezes, é pelado
porque vive abandonado.

É vadio? — Quase sempre...
Com preguiça,
vive sempre enroscado.

É sujinho? — Nunca!
Asseado, passa a língua
do focinho ao rabo.

É dengoso? —Toda a vida.
Sem peixe,
fica logo emburrado.

Sabes de quem falo?
Se não é de ti, menino,
só pode ser do gato!

Odete Ronchi Baltazar

Nenhum comentário:

Postar um comentário