16 de jan de 2009

DOM QUIXOTE


Havia um fidalgo magro e alto,
Que era apaixonado por histórias da cavalaria.
Um dia saiu da realidade,
Pois passou achar que era um cavaleiro.
E assim, foi cavalgando pelas cidades.

Ele se chamou de Dom Quixote,
Mas precisava ser armado cavaleiro.
Ele viu uma estalagem e confundiu com castelo,
Daqueles bonitos e belos.
Pediu ao estalajadeiro,
Que achava que era rei,
Armá-lo cavaleiro.
O estalajadeiro, com medo, não contrariou,
Armou-o cavaleiro e se mandou.

Dom Quixote passou a visitar um vizinho,
Que era gordo e meio burrinho.
Era Sancho Pança, um lavrador,
Que por ingenuidade
Virou escudeiro do cavaleiro sem louvor.

Na viagem deles,
Apareceram moinhos de vento,
E Dom Quixote achou que eram gigantes!
Quando os atacou,
Foi lançado para o alto,
E o escudeiro foi vendo o coitado,
Todo maltratado e acabado.

Em outra aventura,
Dom Quixote encarou dois leões.
Os animais nem ligaram,
Mas ocorreram muitas outras confusões.

Depois de todas essas aventuras,
Dom Quixote tinha adoecido.
Sancho Pança e outras pessoas choravam,
Pois o fidalgo havia morrido.

Guilherme de Almeida Gonçalves

2 comentários: