18 de jan de 2012

TEMPESTADE

- Menino, vem para dentro,
olha a chuva lá na serra,
olha como vem o vento!

- Ah! como a chuva é bonita
e como o vento é valente!

- Não sejas doido, menino,
esse vento te carrega,
essa chuva te derrete!

- Eu não sou feito   de açúcar
para derreter na chuva,
Eu tenho força nas pernas
para lutar contra o vento!

E enquanto o vento soprava,
Enquanto a chuva caía,
que nem um pinto molhado,
teimoso como ele só:

- Gosto de chuva com vento,
gosto de vento com chuva!
(Henriqueta Lisboa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário