20 de dez de 2009

A bailarina


A bailarina,
como frágil lamparina,
como pequeno colar,
faz do ar sua casa,
sua estrada pontilhada
de água.

Entre uma estrela e outra
a bailarina descansa.
Ali onde os humanos
não podem ir,
só os loucos, os loucos
e os que sabem
que com um desejo
se constrói um planeta.

Roseana Murray

2 comentários:

  1. Gostei desse texto, como fica no plural?
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  2. Como fica esse texto no plural? Obrigada, Aninha.

    ResponderExcluir